Falando na ‘lata’

Home  >>  categoria  >>  Falando na ‘lata’

Falando na ‘lata’

15
out,2010

2


Me desculpem leitores, mas hoje eu vou falar o que penso e não vou usar ‘peneira’.
Tenho maior preguiça de cara que mal te conhece e já larga o “tô apaixonado por você”…ou então, aqueles que são um pouco mais ousados e soltam “eu te amo” sem nem saber direito ainda qual é a cor do nosso cabelo, ou se fazemos covinha quando sorrimos, ou o nosso sobrenome…
Na boa? Pra mim isso é babaquice disfarçada de volubilidade. É… gente volúvel, que provavelmente nem sabe a diferença entre paixão e empolgação!
É… empolgação, paixão… acho inclusive que todos nós deveríamos saber melhor o significado dessas palavras…
E sabe o que é pior? É que a maioria das mulheres (inclusive eu, as vezes, rsr) cai! Acreditamos que aquele fofo é realmente fofo (não é não hein? Fofo é seu ursinho de pelúcia ou seu animalzinho de estimação). Acreditamos no que eles ficam repetindo, só porque estão repetindo, e olha que nunca demos essa mesma credibilidade para aquele ‘loro’ da nossa avó, que sempre repetiu tudo que ela falava…
Tsc,tsc,tsc…. É, por certo uma hora a gente aprende.
Hoje eu nem vou deixar uma frase bonitinha para amenizar… acho que responsabildiade com o que dizemos é algo que realmente devemos cultivar mais entre nós. Inclusive em nós meninas, que as vezes não queremos o cara e ficamos enrolando só por medo de ficarmos sozinhas…
Já que não dá para voltar a ser criança, está na hora então de nos tornarmos adultos de verdade!
O mundo tem a cor que a gente pinta né?…pois é… troquemos então os lápis de colorir porque essas cores estão ficando muito cinzas, repetidas e sem graça!

P.S.: À todos vocês que acreditam em amor à primeira vista e conseguem dizer “eu te amo”, “eu estou apaixonado por você” (ou coisas do gênero) de verdade e permanecer por mais de 4 semanas com a mesma convicção…me desculpem! Muita coisa do que está aqui não serve para vocês!

Camila Lourenço

Bruuu…
Sempre adoro as coisas que vc diz.Vc mostra sempre um lado que eu nunca tinha pensado em pensar!
Concordo com vc que amor tem que ser em trinta,sessenta e noventa e de preferência sem juros…rsrs,até porque,acho que amor nasce na maioria das vezes com a convivência,(mas não acho estranho também os que se apaixonam sem conviver muito).
O x da questão nesse texto é sobre a responsabildiade das pessoas, no geral, com o que dizem às outras no que tange sentimento!
Mecher com coração dos outros é algo melindroso,e eu não acho legal a postura que muitos tomam…mas,nem foi no âmbito pessoal não,é no geralzão mesmo,claro que tem um pouco de experiência própria no texto,mas,o conteúdo dele é uma das coisas que eu realmente prezo em quem encontro:aqueles que se respeitam o suficiente para não dizer o que não sente para ninguém!

Beijo grandão como vc,rsrs!
(Que bom que vc gostou do texto!!)

Bruno Godinho disse:

Não acredito em amor à primeira vista. Creio em atração, em admiração, em química… tudo isso pode ocorrer num primeiro encontro. Amor e paixão não. Se alguém se apaixonou por você de primeira, pode ter certeza que depositou muito mais esperança em você do que nele mesmo. Antes do amor ao próximo, deve haver o amor próprio. Quando não há, não existe paixonite nem amoreco. Só carência.

Amo ser “surpreendido” e “cativado” à vista, mas amor mesmo só em trinta, sessenta e noventa. De preferência, sem juros.

E… falando na lata, ótimo texto.

Beijo