Quando querer é poder

Home  >>  categoria  >>  Quando querer é poder

Quando querer é poder

5
jul,2013

0

923561_612089455546000_7925347543879761839_n

Na primeira semana de julho, embarquei para o Rio de Janeiro cheia de sonhos e medos.
Há mais ou menos 1 mês, enviei meu material para a produção do musical “Elis – A musical”, escrito por Nelson Motta, com direção de Denis Carvalho. Enviei pra tentar e qual não foi meu espanto quando dias depois a equipe entrou em contato comigo convidando-me para as audições.
Acredito que inúmeras pessoas se inscreveram, no entanto, éramos menos de 40 na sala de espera. As concorrentes sentadas ao meu lado eram ninguém menos que Patrícia França, Letícia Collin, dentre outras experientes da TV e teatro do eixo Rio/SP.
Dentro do meu peito, medo, felicidade e uma sensação crescente de gratidão brigavam pra se fazerem caber. Me senti honrada por estar entre os(a) grandes, de ter sido escolhida pra estar entre eles mesmo com pouca experiência no teatro.
Fiz meus testes, tive feedback positivo e elogios do diretor do musical e embarquei pra casa.
Nos dias que estive no Rio, senti um misto de medo e euforia e passei por inúmeras aventuras. Manifestações fechando as ruas e o tal do Frescão cortando tudo quanto é tipo de caminho e passando nas comunidades pra que conseguíssemos chegar a tempo, companhia aérea errando o horário do meu voo, dentre outras peripécias.

Senti medo de passar e deixar pra trás os que eu amava (mas esse medo eu enfrentei fácil), senti medo de ter que lidar com rejeição do não (ou da falta de resposta), mas estufei o peito e fui. Gastei uma nota com a passagem compra de última hora e as coisas básicas de uma viagem e hoje tenho a resposta: não entrei pro elenco. E quer saber? EU FARIA TUDO DE NOVO.
O medo bate e é normal e é preciso que o acaso, Deus, ou qualquer coisa que você acredite, preparará o caminho pra você, colocando no percuso o quê e quem você precisa. Pra conseguir ir, contei com o incentivo do meu namorado e amigos, que me deram total apoio para que eu arriscasse. No Rio de Jnaiero, meu anjo foi a blogueira e artesã,  Flávia Ferreira, que me deu um show de apoio, luz e fé e abandonou todos os seus afazeres pra me fazer companhia enquanto estive lá. (Obrigada! ♥)
Foi a 1° vez que me inscrevi em algo teatral do eixo Rio/São Paulo e já de cara me chamaram. Então, a dica da vez pra todos que têm um sonho é “Querer é poder!” Arrisquem, tentem, se inscrevam, vão atrás.

As chances são pra todos, é só questão de tentar.