Rumo

Home  >>  categoria  >>  Rumo

Rumo

2
jun,2011

8
“Não se pode dar uma prova de existência do que é mais verdadeiro, o jeito é acreditar. Acreditar chorando.”
|Clarice Lispector|

Já fiquei contando os dias para o ano passar rápido, na ansiedade da chegada do nada, só para que o amanhã que não me doeria, chegasse logo.

Já dormi sete horas da noite pra não ter que ficar acordada e ja fui dormir quase sete da manhã também com preguiça de dormir e ter outro dia dolorido pra enfrentar.
Já fiz coisas sem nexo, como limpar gavetas antigas, ler bula de remédio ou “modo de usar” de desinfetante. Qualquer coisa que me entretesse de mim.
Já quis tanto que chegasse um tempo que o “vai passar” não fosse preciso, que me perdi nas frestas desse querer.
Já acreditei em quem não devia acreditar, já tentei ser metade e fui mais inteira que eu completa.
Já quis viver outra vida, e vivi, mudando de gosto, rumo, roupas e cabelo.
Já quis fazer não doer, e quanto mais eu tentava, mais dolorido tudo ficava.
Já me coloquei num cantinho, quando tinha uma cama inteira na vida me esperando, só porque o cantinho que mal me cabia tinha o calor de quem eu amava.
Já quis fazer o mundo me ver de dentro pra fora, já quis que o mesmo mundo esquecesse da minha existência.
Já julguei e fui julgada.
Já escrevi sobre felicidade com as lágrimas molhando o teclado, só pra não passar o sentimento ruim adiante.
Já fui incompreendida, e também muitas vezes, não compreendi.
Aprendi a base de tapas, muitas vezes desnecessários, que sim, a vida é dura sim e que também seria como eu determinasse que seria.
Já fiz planos espetaculares na mente, e os vi desmoronar através de um simples sorriso.
De todas as coisas, aprendi que não deixei de amar todas as vezes que deixei de falar. e descobri também, que nesse mundo louco, nunca se perder é privilégio de poucos.
Já tive um rumo certo. Agora, só quero o rumo que me leve de volta ao que mais preciso:(D)eu(s).

Camila Lourenço

“Já quis fazer não doer, e quanto mais eu tentava, mais dolorido tudo ficava.”

Minha querida camila, querida pois mesmo não te conhecendo pessoalmente conheço te através das palavras e o mais importante na vida não é o encontro dos corpos mas da essência humana( a alma, o ser, o coração), te encontrei neste espaço e juntos tecemos o poema da amizade ainda que virtual mas bela como as amizades presentes no cotiadiano das pessoas. Escolhir esta frase acima pois ela é uma sintese do pensamento deste solitário amigo seu, a dor nos eleva, não canso de dizer isto para aqueles que colocam mascaras em suas feridas, gostei muito do teu texto, pois sem exageros você reconhece o valor da vida com seus bons e tristes momentos, o que é a vida senão uma longa peça de teatro sem ensaio. Nesta vida sou feliz por ao meu lado ter não apenas pessoas no cotidiano que eu abraço,beijo, mas também porque sei que em algum lugar eu espero por pessoas como você, que deixam grafados em minha alma o sentimento de amar.
beijos linda.

Erica Gaião disse:

Camila!

QUE TEXTO! Estou sem fôlego… E muda! E eu que adoro comentar, hoje, depois de ler o seu texto, não consigo dizer. Qualquer coisa que eu diga não será capaz de traduzir o sentimento que pairou aqui, em mim. Me vi aí, nessas linhas e entrelinhas. Aí onde tem parte da sua alma. Ou seria a sua alma inteira? Esses sentimentos todos… Essa vontade se sumir e assumir; ir e voltar; ser e não ser.Um dos melhores, sem dúvida!

Parabéns!

Amo tudo aqui e você sabe disso!

Beijos, querida Camila

Vindo para ficar também!!
=)

**BeijO**

Renata disse:
LindO mesmo!
Lembrou-me Clarice Lispector!
=)

Rê Cabral disse:

Arrumando a casa e limpando a bagunça q dona realidade deixou. É preciso coragem. Tou orgulhosa de vc. 🙂

Alicia disse:

uau!

gran finale!

(Sei lá como escrevo isso..rs)

L. disse:

Merecido post. O comentário mais lindo que já recebi.
=*

José Netto disse:

Vc a cada dia escrevendo melhor…
Bjos…
sdd