A paixão é o intervalo intercalando o espaço do tédio, e não importa a que se dirige.”
|Nicholas Sparks|
Que ela exista fazendo nosso sangue queimar.
Ainda que o objeto do seu desejo seja o cheiro da grama molhada. Ainda que sua obsessão seja a pele dourada. Ainda que sejam as horas de trabalho prolongada o motivo da sua existência. Que ela exista!
Que ela exista nem que seja pelos errados, ou pelo vício da adrenalina tão as vezes seguramente politicamente incorreto. Que ela exista!
Nem que seja pela música fazendo o sangue pulsar mais forte, ou pelo abraço direcionado a ninguém, ou pelo sorriso de criança, ou pela coleção de baralhos, ou pelo saltitar dos animais. Que ela exista e que ela nos tome, hora sim e hora sim também.
Uma vida sem paixão é como um sol sem luz. Existe? Talvez, mas não faz muita diferença na vida de ninguém, nem de quem a tem.
Camila Lourenço