A tinta não pega na parede. O disco não toca mais na vitrola. Os cds estão arranhados, o pen drive pegou vírus.
As palavras bonitas dormiram. O silêncio acordou.
Calar ou gritar?
Esperar ou correr atrás do invisível?
Enxergar e admitir o que não existe ou colar um papel de parede como fundo?
Os ursinhos carinhosos cederam, a criptonita enfraqueceu o Super Man. O Batmam não resistiu. Agora só restou você.
Esse é seu castigo-mor: ficar sozinho, desprovido até de si mesmo.
Se se sair bem, “Ele” deve lhe dar alguma boa recompensa.
Se nos sairmos bem é bem provável que mais coisas ainda percam o encatamento. Mas, e daí? Quem disse que viver seria um conto de fadas?
Essa é a hora da verdade e há alguém te esperando do outro lado do rio: Você.
Lutar e vencer/perder sozinho tem suas vantagens. Uma delas é aprender que em nenhum terreno há pedregulhos demais para que não se possa engatinhar.

Camila Lourenço