Pra mim, existe um acordo pré fixado, mais antigo que o mundo, onde está escrito: “amigos são pra sempre!”
Na minha cabecinha interiorana, não cabe a palavra “ex-amigo”.
Não se deixa de ser amigo por que se gosta de um picolé diferente, de uma banda, de um grupo, de sexos diferentes.
Não se deixa de ser amigo porque há decepções. Não, não se deixa!
Ter amigo, não é não ser só, é estar só mas saber que pode pegar o telefone e ter de quem ouvir ao menos um sermão.
Ser amigo, não é concordar com tudo, não é ser igual. É as vezes ser diferente, e fazer dessa diferença um acréscimo na vida um do outro.
Ser amigo não é trocar palavras todos os dias, não é sair juntos para balada. Todo mundo faz isso, até inimigos.
Ser amigo é saber-se ouvido mesmo no silêncio da distância. É saber-se junto mesmo através do tempo. É ter aquele que em épocas de vacas magras, topará de bom grado fazer um passeio sem custos com você, mesmo que ele se resuma a olhar estrelas sentados em frente a um lago.
Ser amigo não é ter/dar toda a atenção sempre. Não é ter ciúme e não é não ter. Ser amigo é essa sensação gostosa de confiança, apesar da imperfeição e diferença. É ter um refúgio, mesmo não trocando palavras por dias ou anos a fio.
É seguir rumos diferentes, mas saber, que mesmo do outro lado do mundo, existe alguém que torce por nós e com quem podemos contar.
Ser e ter amigo é um resumo de muita coisa, menos perfeição. É a mistura dos gostos, das raças, das histórias.
Vão se os amores, mudam-se as histórias, mudam-se os gostos, muda o cenário, mas o amigo permanece, mesmo que seja somente em lembrança.
Um dia, fiz uma promessa a uma amiga de que ela nunca mais estaria sozinha.E vou cumpri-la, mas não fisicamente, ou trocando emails ou scraps todos os dias. Talvez, quem saiba, nem as ligações sejam constantes como ela gostaria e/ou esperava. Mas ela sabe, eu estou com ela no coração e a trago comigo no peito também, e num tempo chamado “para sempre” é o tempo no qual comigo ela poderá contar.
Não é dever de nosso amigos adivinhar nossos gostos, ou estar sempre presente. Não é nosso dever compartilhar tudo ou ignorar o fato de que a vida segue seu curso. Porém, o verdadeiro dever, uma parte de nós, a mais importante, jamais esquece:Amar pra sempre e agradecer a Deus por todas as mudanças que através de nossos amigos experimentamos.

Camila Lourenço

P.S: Please, don’t leave me?!