As vezes é dificil falar o que está no coração…
As vezes dá medo falar o que sentimos e deixar que os outros vejam que não somos tão fortes quanto aparentamos.
Dá medo mostrar do que temos medo…
Dá medo falar do que gostamos, do que queremos…
Dá medo confessar que ficar sozinho não é bom…
Que olhar para o telefone que nunca toca, aperta o peito…
Que ouvir aquela música que nos lembra alguém, as vezes arranca lágrimas…
Dá medo ser julgado, compreendido e ainda assim condenado.
Dá medo parecer idiota quando contamos o que está nos fazendo ficar tão pensativos… ou quando confessamos que sentimos saudades de quem não deveríamos sentir…
Dá medo contar para aquele alguém o quanto ele faz falta, e parecer idiota enquanto as palavras saltam da boca…
Dá medo ser intenso(a)…
Dá medo pensar que irão sentir medo da gente quando souberem o quanto nos apegamos fácil e do quanto seria fácil passar o resto da vida ou boa parte dela ao lado de quem sequer conhecemos direito.
Dá medo ser bobo… dá medo acreditar em finais felizes, dá medo não ser otimista sempre e mostrar que as vezes choramos…
Dá medo imaginar alguém sabendo que as vezes as lágrimas molham nosso travesseiro e que abraçamos apertado o nosso ursinho de pelúcia antes de dormir… ou que conversamos com nosso animal de estimação e que mesmo ele não entendendo nada, a solidão vai embora enquanto ele nos olha virando a cabecinha pro lado, como quem quer entender…
Dá medo pensar que talvez a vida não seja como as historinhas que nossas mães nos contava quando éramos crianças…
Dá medo…
Dá medo e trabalho nos convencer que ir para a balada resolve, que não faz diferença irmos sozinhos para o cinema e que não faz falta não ter uma mão para apertar quando passar alguma cena de terror na tela, ou que nem notamos que todos os casais se beijam nos finais felizes dos filmes…
Dá medo não ter para quem mandar aquela foto linda que tiramos do pôr do sol…
Dá medo a normalidade…
Dá medo esperar o alguém que nunca chega…
Dá medo não termos um peito para encaixar com o nosso para fazer o coração acalmar….
Dá medo saber que sempre vamos pensar que o próximo, talvez seja “o próximo” e saber que provavelmente não será….
Dá medo ver as fotos de casais se beijando e olhar para as nossas, sozinhos…
Dá medo saber que ser só não é bom como as vezes parece e dá mais medo ainda saber que quando alguém ler isso irá falar que ‘as coisas não são bem assim’…
Dá medo…
As vezes eu estarei bem e feliz como sou, me contentando com cada minuto que a vida oferecer de risada e rindo com tudo que há mim, mas, ainda assim, sei que vou sentir medo do incerto chamado “depois”, e esse, não sei se algum dia deixarei de temer.
Dá medo saber que as vezes somos tão frágeis…
Dá medo….

Camila Lourenço