“Tenho um sorriso bobo e um par de asas tortas.
É que as vezes (quase sempre) não vôo. eu me jogo.”
|Fernanda Gregório|

Eu sei errar. Muito. Até quando acerto.
Sei lá. Tenho um sangue meio estabanado correndo nas veias, ou tenho alguma célula reinante no corpo desconfiada demais, e por ser desconfiada e achar que todo mundo vê seu erro, todo mundo realmente acaba vendo.
Eu sei falar eu te amo pra dentro e o meu olhar sabe gritar pra fora.
Ah, e eu também sei ser piegas. Óh céus, como eu sei ser piegas. De chorar em filme-nada-a-ver, de dar saltinhos de alegria diante de uma atitude bonita (que coisa brega¬¬), de ficar com aquela, sim, “aquela” cara de boba alegre, assim, nada discreta.
Eu sei sorrir com os olhos, pra tristeza não me ouvir. Sei dos jogos que não jogo e que tentando jogar, sempre perco.
Eu sei uma série de coisas que se resumem a um montante de não sei.
E de todas as coisas que eu queria saber, a única que eu realmente não aprendi foi não ser assim, tão coração quente e tão estabanadamente, humana.

“Primeiros erros – Capital Inicial”
Camila Lourenço