Se fosse pra beber a conta-gotas, eu beberia remédio.
De amor eu quero morrer afogada, pra então, sentir que estou viva.

Camila Lourenço