“O sol brilha tanto lá fora, o céu está tão azul e a vida tão divertida que não vale a pena lamentar.”
|Caio F. Abreu|

A gente acorda e todos os dias tem um sol lá, todo bonitão esperando por nós. Em alguns dias as nuvens aparecem e quase não conseguimos vê-lo, mas ele está lá. Outros dias o céu é generoso e deixa aquela luz encher nossos corações de esperança.

Ver o sol além das nuvens não é tarefa fácil, nem muitas vezes prazerosa. As vezes é preciso uma dose de enganação própria para ter a coragem de colocar uma música bem humorada quando queríamos curtir aquela bela fossa ao som de “all by myselff”, outras, faz-se necessário arrumar forças de onde não há para sairmos de casa e ver o sol iluminando nossas vidas através dos sorrisos de nossos amigos; e por fim, a mais difícil e mais amarga: a aceitação de que tudo está exatamente onde deveria estar, mesmo as feridas.
Sacudir a poeira, olhar pra frente e lembrar que a vida devia ser bem melhor, mas que ainda assim é bonita não é questão de escolha, é questão de necessidade.
Fácil? Não é não. Por isso é tão prazeroso tentar – e conseguir – simplesmente prosseguir.
Das dores? Elas se vão com o tempo, é só esperar. Nenhum vento é contrário, as vezes só estamos olhando para a direção errada.

“O que é, o que é? – Gonzaguinha”

Camila Lourenço