Tem dias que o que mais queremos é gritar todas as dores que machucam a alma. Apontar dedos na cara, chorar, colocar pingo nos is, se abrir e deixar a sinceridade dos pensamentos e sentimentos tomar conta de cada pedacinho de tudo que nos envolve.

Mas gritar nem sempre é pérmitido. Aliás, gritar na maioria das vezes não é aconselhável.
Então, nestes momentos, me recuo para o silêncio contido daqueles que sabem que o tempo é a solução para quase todos os problemas.

Camila Lourenço