Fingir força quando o que na realidade sentimos é tristeza. Esboçar sorrisos, quando o que cai dos nossos olhos são lágrimas. Oferecer desprezo quando o que existe é a falta. Revolta quando o que há aqui é a dor que o preço do pecado não cometido provoca. Nenhuma dessas roupas a mim cabe mais.
Vesti a roupa da pausa. Por que só mesmo o tempo é capaz de ajuntar os pedaços do estrago que algumas tristezas – e pessoas – provocam.

“Meio Almodovar – Juca Novaes e Lenine”
Camila Lourenço