Eu te amo com um amor tão eu que despedaçado ele se reintegra.

É que Deus me fez assim, capaz de amar até em pedaços, intercalando na lembrança os pequenos detalhes dos nossos sorrisos gostosos de um passado quase presente. E nas minhas estranhezas histéricas eu me pego sorrindo dessa coisa estranha que você fez nascer no meu peito, que carinhosa e saudosamente chamo de amor, que apesar de tantos espinhos, ainda que em meio a raios e trovoadas, nunca deixou meu céu sem florir.
O lance estranho é que você é um menino errado, que acha que não faz falta mas que mesmo nas lembranças ainda consegue me fazer sorrir. Meu refúgio secreto de mim mesma, onde num abraço eu já não sei onde termina meu eu e começa o seu.


“É você – Tribalistas”

Camila Lourenço