Perde tempo quem exita sempre antes de dar um passo rumo ao que quer. Quem acelera a caminhada do domingo para fazer nada em frente a TV. Quem não arrisca, quem nunca está disponível para uns momentos de risada. Quem precisa sempre de uma desculpa ou alguém em seu encalço para conhecer algum espaço da própria cidade.
Perde tempo quem se fecha, quem não ouve nenhuma música diferente do seu estilo e já determina não gostar, simplesmente porque não é seu estilo.
Perde tempo quem julga sem conhecer, quem discrima por tatuagens, opção sexual, roupas, ou até mesmo opinião. Quem não reconhece as diferença e as aprecia. Quem nunca senta para ver o pôr do sol, ou o luar. Quem coloca o trabalho acima de tudo, quem só se sente feliz se a carteira estiver farta, quem não tira foto porque se acha gordo(a).
Perde tempo quem não sai porque não tem roupa nova, quem não aproveita a tarde de domingo porque não tem namorado. Quem tem vergonha de receber abraço. Quem tem vergonha de perguntar. Quem nunca chega “naquela” garota por medo de receber um não, quem nunca diz eu te amo por medo de se mostrar, quem nunca tem coragem de sair pra dançar, quem se refere às oportunidades que lhe aparece com a desculpa “ah se eu fosse mais novo”.
Perde tempo quem acha que a vida determina tempo pra viver. Ela só determina pra morrer, e uma coisa não tem nada a ver com a outra.
Há muitas formas de perder tempo, mas eu nunca vi uma mais triste que quem acha que sozinho é a melhor maneira de ser feliz.

“Stand by me – Play for change – Song around the World”
Camila Lourenço