Abra os braços e se deixe livre. Na vida, fica o que é pra ficar.
Ele chegou e sentou do meu lado na cama. A principio, não me disse nada, só me olhou com aquele olhar todo cheio de amor. Eu retribui o olhar e suspirei, já fazendo bico. Ele pegou minha mão e me levou pra janela e mesmo sendo a mesma janela que dia após dia eu olhava, não foi o cenário de sempre que vi. Vi gente triste, com frio, criança magra e suja e senti um arrepio tomar meu corpo. Ele esperou eu contemplar aquela cena durante algum tempo e depois me pegou pela mão novamente e me levou pra porta de casa, lá eu vi um céu azul e cores quase irritantes de tão lindas e vivas. Ele não me disse nada, só olhou pra mim novamente, beijou minha testa e antes de sumir e voltar pra minha mente e coração, sussurrou no meu ouvido:”Eu estou cuidando de você”. Bastou.
Dei o primeiro passo pra fora de casa e me lembrei da vida e de tanta gente que as vezes, só precisa de um sorriso pra florir. Deixei a água do “tudo passa” me lavar e levar o que precisava ser levado e aceitei e abracei o novo tempo que já estava aqui.
“Times Like These – Foo Fighters”

Camila Lourenço
P.S: Obrigada Juliana Alves e à Renata e Cibele, donas de blogs fofíssimos (vale a visita) que me ofereceram um lindo selinho. Este blog não tem o costume de repassar selos, mas agradeço de coração a consideração.